terça-feira, 29 de dezembro de 2015

de génio e de lo(u)co, todos nós temos um pouco...

 
No recém inaugurado restaurante Loco, junto à Basílica da Estrela, tudo contribui para dar prazer aos sentidos: a decoração da sala, o ambiente, a sequência das iguarias, a forma como como vêm apresentadas, as cores, os sabores...
Existe uma simbiose entre cozinha e sala, por vezes é o Chef Alexandre Silva que nos prepara a nova etapa, como no caso da sopa de enxaréu no balão de café.
 
Genial, diria eu, e de louco... apenas as quatro letras...
 

 









terça-feira, 22 de dezembro de 2015

quando o(a) Chef assina "obrigada mãe"!


Gosto de conhecer novos restaurantes e revisitar os de que gosto, gosto de apreciar a estética e o sabor dos pratos e de desenhar... Tenho por hábito pedir no final uma assinatura ao Chef, que neste caso era uma Chef...a minha filha Ana!

A minha filha mais velha, Ana Moura, está à frente da cozinha do recém inaugurado restaurante Cave 23, no Torel Palace em Lisboa. Escusado será dizer que recomendo...

É agora a minha vez de fazer uma dedicatória:
Ana,
Muitas felicidades no teu futuro é o que eu te desejo minha querida! Mãe
 

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Feitoria

O restaurante Feitoria fica no hotel Altis Belém, em Lisboa. Tem à sua frente o Chef João Rodrigues e neste momento também uma estrela Michelin. O Menu fala do espírito aventureiro dos portugueses como fonte de inspiração dos pratos, e de uma cozinha de sabores tradicionais com influências do Oriente.
Bonita a forma como a comida vem apresentada, a diversidade dos "suportes" onde é empratada, desde taças, placas rectangulares, pratos de grandes dimensões, a bases de cortiça ou caixas de madeira.
Deliciei-me com as formas e cores de tudo o que observei, desenhei e provei!
 

 




 
Novembro 2015

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Chimera



É o nome de um restaurante na Rua do Salitre que fui conhecer no passado sábado.
Chimera, em português quimera, pode ter diversos significados, depende como é empregada. Quimera pode ser um peixe, uma figura mítica, um fenômeno genético, entre outras coisas.
Quimera é um peixe cartilaginoso que vive em águas profundas em todos os mares, é um peixe pouco comum e são relacionados com os tubarões e as raias. Existem cerca de 30 espécies no mundo, todas marinhas, sendo que a maioria vive nas profundezas.
Quimera também um substantivo feminino que indica uma esperança ou sonho que não é possível alcançar, uma utopia. Por esse motivo, alguns sinónimos para quimera são: devaneio; fantasia; ficção; imaginação.

Mais uma vez, para contar a minha história, desenhei. Desenhei porque me dá prazer. Desenhei porque quando desenho também entro na minha quimera, no meu sonho...

 

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Na Fundação Arpad Szenes-Vieira da Silva

 
A última sessão de "Um ano a desenhar para o futuro 2015" (e a primeira em que participei) foi orientada  pelo Eduardo Salavisa. Pediu-nos perspectivas de espaços interiores que apanhassem mais do que o normal, recorrendo ao curvar de algumas linhas. Acho que curvei demais, ficam os desenhos resultantes do exercício que me partiu a cabeça mas que ao mesmo tempo também me deu imenso gozo!
  

 
 
 
 

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

- Oh mãe, os meus óculos não parecem cool...

 
Sábado à noite a jantar no restaurante Chimera, na rua do Salitre em Lisboa. A decoração é uma não-decoração, o som ambiente é dado por discos que tocam num gira-discos (no buraco à esquerda no desnho), no tecto estão aplicadas caixas de madeira, tipo caixas de frutas e legumes, e por aí em diante... Comemos nem bem nem mal, mas como eu costumo dizer: check!
 
PS. - Penso que não preciso explicar o título deste post...
 
 
 

Encontro UskP no Forte de São Julião da Barra


Era aliciante a proposta de conhecer por dentro um Forte cujo exterior já tinha desenhado diversas vezes. Fomos percorrendo o interior (é muito maior do que parece por fora) e ouvindo as explicações da nossa guia, até que comecei a sentir a "impaciência" do costume por começar a desenhar!
Estava vento e algum fresco no exterior, mas não era o momento de pensar nisso...
Fiz um primeiro desenho, num dos pontos mais altos, um segundo na mesma zona a olhar o casario e a Torre do Farol, e um último desenho, feito a partir da guarita mais pequena que se vê no primeiro, mas na direcção oposta. Pouco tempo para tantos pontos de vista tão interessantes, mas o suficiente para uma manhã muito bem passada!









quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Sintra


Mais um encontro de UrbanSketchers, desta vez em Sintra.
Cheguei um pouco antes da hora, já lá estava a Patrícia, e começámos a desenhar a encosta. Foquei-me numa casa (a de cima), um dos projectos mais conhecidos do arquitecto Raul Lino: a Casa dos Penedos, que segundo consta estará à venda.




 Dentro do Palácio Nacional de Sintra, um "medley" de elementos decorativos e, mais uma vez, a vista sobre a encosta.




Na Sala dos Cisnes, um dos bonitos lustres suspensos do tecto


terça-feira, 8 de dezembro de 2015

rio maravilha no Lx Factory


É o nome de um restaurante. Fica no alto de um edifício dentro do Lx Factory. O Menu está escrito em folhas de presença, com nomes de empregadas provavelmente do que terá sido antes ali, uma fábrica de lanifícios (suposição minha). Justina Clara Assumpção Carvalho, nome escrito no cimo da página. O horário das 06:00 às 16:00!
A vista sobre a cidade é uma maravilha, assim como tudo o que provámos!  
 

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

o Bar Cantinho


O Bar Cantinho é um dos locais que me foi atribuído para desenhar no âmbito de uma Exposição chamada "A Casa dos Mundos", a acontecer em Janeiro 2016. São muitos espaços de lojas na zona de São Bento e do Martim Moniz à frente das quais estão estrangeiros.
O bar em questão fica na Rua do Benformoso, uma paralela à Almirante Reis. Fui lá (finalmente!) na sexta-feira passada, a seguir ao almoço. Espreitei lá para dentro, estavam duas pessoas, mas resolvi ficar cá fora, quase em frente da porta, ao lado de dois polícias que me fizeram sentir ainda mais segura, apesar de eu não ter medo de andar por estas bandas. Ouvia-se, vindo de lá de dentro, uma música tipo "indiana", que me aguçou a curiosidade. Apareceu um casal que se sentou na soleira da porta ao lado do bar, em atitudes carinhosas... Meti conversa com eles no final do desenho, ela disse: Ah, ele também desenha, faz tatuagens! Que giro, disse eu, também gostava de fazer uma tatuagem...
Entrei no Bar, a televisão com um programa qualquer ao som da música que escutara antes, e dois empregados que não falavam português que me disseram que o dono era paquistanês. Cá fora os meus novos amigos confirmaram, e acrescentaram que lhe chamavam Babuji. Missão cumprida, já posso voltar para o escritório!
É por estas e por outras que eu gosto de desenhar...


quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Ao Sabor do Património, a inauguração


Muito obrigada Nim pelo convite e a todos os que estiveram presentes na inauguração da exposição Ao Sabor do Património, no passado dia 27 de Novembro na galeria opus 14! Foi muito bom poder ter a minha primeira exposição conjunta, que vai estar patente até 16 de Janeiro! 


 
Eu e a Nim Castanheira, dona da Galeria Opus 14
 


Os meus desenhos dos palácios feitos para o livro Palácios e Casas Senhoriais de Portugal
 
 


Além dos desenhos originais do livro, estão também expostos desenhos preparatórios dos palácios e casas que fiz pelo país, e outros novos a tinta preta e aguarela, como este do palácio Foz em Lisboa.


 
As aguarelas da Teresa Palma





 











 
 Diana de Cadaval, a autora do livro Palácios e Casas Senhoriais de Portugal